Golpe Do Diabo

CarlosPontes 

 

Uma vez, andando pela rua, numa noite de lua cheia,

eu vi um cara muito esquisito na porta de uma igreja.

Ele fumava um charuto cubano sem parar

e tocava um violão velho e rachado.

E com o pastou gritando ao fundo,

ele abriu sua boca sem dentes, virou pro altar,

e cantou bem alto, uma música mais ou menos assim.

 

Fui enrolado pelo Diabo, baby

Por isso vim pedir arrego no PROCON do Céu

Ele me fez assinar um trato

E até hoje nada do que disse saiu do papel

 

Fui enrolado pelo Diabo, baby

Por isso vim pedir arrego no PROCON do Céu

Eu quero o meu advogado

Pois até hoje nada do que disse saiu do papel

 

Me prometeu sucesso na TV e no Cinema

Só precisava dar alguns telefonemas

Tocar no Rádio, Clip, disco de platina

E uma casa pra mamãe com churrasqueira e piscina

 

Fui enrolado pelo Diabo, baby

Por isso vim pedir arrego no PROCON do Céu

Quero rasgar esse contrato

Pois até hoje nada do que disse saiu do papel

 

Não me pagava, me roubou uma fortuna

Comprou carro importado e me deu um pé na bunda

Chamei a policia mas ela me prendeu

Porque acharam um cigarrinho que nem era meu

 

Fui enrolado pelo Diabo, baby

Por isso vim pedir arrego no PROCON do Céu

Ele só quis tirar um sarro

E a essa hora deve estar tomando todas num bordel

 

 

 

 

O Carango Elétrico

CarlosPontes

 

Comprei um carro elétrico

Minha caranga não vai mais fumar

Tive de ser tão enérgico

Pra não ferrar o que restou do ar

 

Agora ando de dia

E a noite paro pra recarregar

Sua grande bateria

Na tomada do meu celular

 

Meu carango elétrico!

 

Mesmo sem fumaça

Eu ainda posso viajar

E não perdeu a graça

Porque eu corro mesmo devagar

 

Mas tem que ficar ligado

Pra não deixar estourar

A conta da Eletropaulo

Que agora é foda de pagar.

 

Meu carango elétrico!

 

 

 

 

Não Me Deixam

Carlos Pontes

 

Sei que você me conhece bem

Não vou na onda de ninguém

Mas pra onde quer que eu vá

Sempre tem alguém pra me observar

 

Eu quero sair por aí, mas não me deixam

Sem dizer quando vou voltar, mas não me deixam

Sem ninguém pra me controlar, não quero te magoar

Quero tentar melhorar, mas não me deixam

 

Depois de tudo o que passei

Sabes que não sou de ninguém

Estou me sentindo numa prisão

Eu estou perdendo o meu tempo em vão

 

Se você ainda não me entendeu

Olhe bem para o que aconteceu

Com meu olhar que não está mais aqui.

Mesmo que eu quisesse mudar

Estariam prontos pra me lembrar

Do que passou, do que não vou conseguir

Mas não me deixam

 

 

 

 

Inverso

Carlos Pontes
  
Quando eu disse "Não"

Queriam que eu dissesse "Sim"

Quando eu disse "Pare"

Queriam que eu fosse até o fim

 

Quando eu disse "Fico"

Queriam que eu fosse embora

Quando eu disse "Daqui a pouco"

Queriam que eu dissesse "Agora"

 

Quando eu disse "Chega"

Queriam que eu continuasse

Quando eu disse "Estou com dor de cabeça"

Disseram "Espere até que ela passe"

 

Quando eu reclamei

Queriam que eu ficasse calado

Quando levaram a pessoa que amei

Disseram pra que eu nunca tivesse amado

 

Quando eu disse que acabou

Disseram que aquilo era só o começo

Quando eu disse que nada restou

Disseram que isso era só um pretexto

 

Quando eu me esqueci

Disseram que iriam me lembrar

Quando eu respondi

Disseram que não tinham nada a perguntar

 

O que está conexo?   O que é convexo?

Tudo é reflexo...De um mundo tão complexo

 

O que está conexo?   O que é convexo?

Tudo é reflexo...De um mundo tão, de um mundo cão...

 

 

 

 

Roupa Suja

Carlos Pontes


Às vezes eu queria ser artificial como você

Talvez até me desse bem

Se eu não me importasse com ninguém

Às vezes eu queria ser tão pequeno quanto você

Quem sabe até lucrasse mais

Se eu começasse a te passar pra trás

Seria bom se eu pudesse ser tão burro quanto você

Não saberia de nenhum assunto

Eu não veria a pobreza do mundo

Às vezes eu queria ser tão convencido quanto você

Talvez até me desse bem sem precisar de outro alguém

 

Mas um dia você vai voltar

Mas um dia, um belo dia, você vai dar meia volta

E quando olhar pra traz você vai ver

Que a vida é um problema que você nem começou a resolver

 

Às vezes eu queria ser tão livre quanto você

Sem rumo, sem escola nem cidade

Sem um pingo de responsabilidade

Se eu pudesse bem que eu queria ser 

Inescrupuloso como você

Até que iria ser feliz se eu não me culpasse pelo que fiz

 

Mas um dia você vai notar

Mas um dia, e nesse dia, você vai sentir a minha falta

E quando isso acontecer você vai ter

Vai ter que fechar os olhos pra conseguir me ver

 

Às vezes eu queria ser tão influenciável quanto você

Com certeza iria ser mais fácil viver

Sem ter que decidir o que fazer

Às vezes eu queria ser tão imaturo quanto você

Eu poderia errar a vontade e botar a culpa na minha idade

 

Mas um dia tudo vai mudar

Mas um dia, eu acredito que tudo vai melhorar

De qualquer forma você vai ver

O mundo te aceitar quando você começar a crescer

 

Às vezes eu queria ser tão diferente de você

 

 

 

 

Canção Para O Fim Do Mundo

Carlos Pontes
  
Flashes de luz da manhã, o brilho de uma estrela anã.

Coisas que a gente nem vê.

Um pássaro, de norte a sul, vê que nesse mundo azul.

Existe tanto pra se conhecer

 

E que não há tempo pra bobagens

O mundo é um livro que ninguém abriu

 

Então pra que ficar assim, triste como fosse o fim,

Se tudo tem uma razão de ser?

Nada mais vai importar, se a terra o céu e a água do mar,

Se tudo isso existe pra você. O que mais você vai querer?

 

Ondas ditas pelo mar, canção que não vai acabar.

E a gente não consegue perceber.

Do outro lado da maçã deu no jornal de amanhã

Que coisas loucas vão acontecer.

 

E que todos fazem a viagem.

O mundo é um disco que ninguém ouviu.

CarlosPontes 2018 - Todos os Direitos Reservados
ITunes_12.2_Apple_Music.png
logo_32.png
51rttY7a+9L.png
google-play-music-logo-png-transparent.p
deezer-logo-png-transparent.png
Amazon-Music-Logo-1476279710-640x400.png
YouTube_Music.png
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now